Avatar

terça-feira, 17 de maio de 2016

Manifesto Por Uma Ciência Pós-Materialista

Manifesto Por Uma Ciência Pós-Materialista” … O reconhecimento definitivo desses fenômenos pela ciência oficial não é mais do que uma questão de tempo. 
Quando esse grande evento se realizar, então no horizonte do conhecimento humano surgirá a aurora de uma nova era: os fundamentos do saber humano passarão da concepção materialista do universo para a concepção espiritualista do ser, com as conseqüências filosóficas, sociais, morais e religiosas que daí decorrem.”
Ernesto Bozzano

Olá, amigos, tudo bem ? Colocamos agora, para o conhecimento de todos, uma tradução livre que preparamos do Manifesto Por Uma Ciência Pós-Materialista. Documento escrito por vários cientistas internacionais renomados  que defendem  a existência da Vida Após a Morte e a união da ciência com a espiritualidade.
Versão Original do documento pode se encontrada em:
http://opensciences.org/about/manifesto-for-a-post-materialist-science

Esperamos que apreciem e divulguem, um grande abraço !

Alexandre e Flávia.
***

Manifesto Por Uma Ciência Pós-Materialista
Nós somos um grupo de cientistas conhecidos internacionalmente, vindos de uma variedade de campos da ciência(Biologia, Neurociência, Psicologia, Medicina, Psiquiatria) e participamos de uma conferência internacional sobre a ciência pós materialista, espiritualidade e sociedade. A conferência foi organizada por Gary E. Schwartz, PhD, Mário Beauregard, PhD, Universidade do Arizona e Lisa Miller, PhD, Universidade de Columbia. A conferência foi realizada no Rancho Canyon em Tucson, Arizona entre 7 e 9 de Fevereiro de 2014. Nosso propósito foi discutir o impacto da ideologia materialista na ciência e a emergência do paradigma pós-materialista para a ciência, espiritualidade e sociedade. Nós chegamos às seguintes conclusões:

  • A visão de mundo científica moderna é predominante baseada em suposições fortemente associadas a física clássica. Materialismo – A Ideia de que a matéria é a única realidade – é uma dessas suposições. A suposição relacionada é reducionismo, uma noção de que coisas complexas podem ser entendidas reduzindo-as a interações de suas partes, ou a coisas mais fundamentais, mais simples, tais como partículas minúsculas de matéria.
  • Durante o Século 19, estas suposições limitadas transformaram-se em dogmas, e se transformaram em um sistema de crença ideológico que veio a ser conhecido como “Materialismo Científico”. Este sistema de crença prega que a mente nada mais é que fruto da atividade cerebral  e que nossos pensamentos não podem ter qualquer efeito sobre nossos cérebros e corpos, nossas ações e nosso mundo físico.
  • A ideologia do materialismo científico tornou-se dominante na academia durante o século 20. Tão dominante que a maioria dos cientistas começaram a crer que era baseada em evidências empíricas estabelecidas e representavam a única visão de mundo racional.
  • Métodos científicos baseados na filosofia materialista têm sido altamente bem sucedidos, não só em aumentar a nossa compreensão da natureza, mas também em trazer um maior controle e liberdade através de avanços na tecnologia.
  • Entretanto, o domínio quase absoluto do materialismo no mundo acadêmico tem limitado seriamente a ciência e dificultado o desenvolvimento do estudo científico da mente e da espiritualidade. A Fé nessa ideologia como o único modelo de explicação da realidade tem compelido cientistas a negligenciar o assunto a uma dimensão subjetiva da experiência humana.
  • A Ciência é antes de tudo um método não dogmático, de mente aberta, para aquisição de conhecimento sobre a Natureza, por meio da observação, investigação experimental e explicação teórica de fenômenos. Sua metodologia não é sinônimo de materialismo e não deve ser contaminada por quaisquer crenças particulares, dogmas ou ideologias.
  • No fim do Século 19, físicos descobriram fenômenos empíricos que não poderiam ser explicados pela física clássica. Isto levou ao desenvolvimento, durante os anos 20 e início dos anos 30, de um novo ramo revolucionário da Física chamado de Mecânica Quântica. A Mecânica Quântica questionou os fundamentos materiais do mundo,  mostrando que átomos e partículas subatômicas não são objetos de fato  sólidos. – Eles não existem em locais e momentos fixos definidos. Mais importante, A Mecânica Quântica introduziu explicitamente a mente em sua estrutura conceitual básica, uma vez que foi descoberto a partícula sendo observada e o observador – O Físico e o método usado para observação – estão conectados.  De acordo com uma interpretação da Mecânica Quântica, este fenômeno implica que a consciência do observador é vital para a existência dos eventos físicos sendo observados, e que os eventos mentais podem afetar o mundo físico. Os resultados de experiências recentes dão apoio a esta interpretação. Estes resultados sugerem que o mundo físico já não é o componente principal ou único da realidade, e que esta não pode ser totalmente compreendida, sem fazer referência à mente.
  •  Estudos psicológicos mostraram que a atividade mental consciente pode às vezes influenciar o comportamento e que o valor preditivo e explicativo de certos fatores tais como crenças, objetivos, desejos, e expectativas é muito alto. Além do mais, pesquisas em psiconeuroimunologia indicam que nossos pensamentos e emoções podem afetar de maneira marcante a atividade dos sistemas fisiológicos(tais como, imunológico, endócrino, cardiovascular) conectados ao cérebro. Em outros aspectos , os estudos de neuroimagiologia de auto-regulação emocional , psicoterapia , e o efeito placebo demonstram que os eventos mentais influenciam significativamente a atividade do cérebro.
  • Os Estudos dos também chamados “Fenômenos Psi” indicam que podemos às vezes receber informações significativas sem o uso dos sentidos comuns e de maneiras que transcendem as restrições habituais de espaço e tempo. Sendo assim, a pesquisa psi demonstra que nós podemos influenciar – à distância – dispositivos físicos e organismos vivos(incluindo outros seres humanos). A pesquisa  também mostra que mentes distantes podem comportar-se  de maneira a não estar localmente correlacionadas, ou seja as correlações entre mentes remotas hipoteticamente não precisam estar ligadas(não estão associadas a qualquer sinal energético conhecido), as comunicações são absolutas(não perdem intensidade proporcionalmente à distância) e são imediatas(parecem ser simultâneas). Estes eventos são tão comuns que  não podem ser vistos como anomalia nem como exceções às leis naturais, mas apenas como indicadores da necessidade de um quadro explicativo mais amplo que não pode ser baseada exclusivamente no materialismo.
  • A atividade mental consciente podem ser experimentada na morte clínica durante um ataque cardíaco(São as também chamadas “Experiências de Quase Morte(EQM)”. Algumas pessoas que experimentaram uma EQM relataram percepções verídicas fora do corpo(isto é, percepções que  podem ser comprovadas). Pessoas que passam por uma EQM também relatam experiencias espirituais durante a evento disparado por por conta de um ataque cardíaco.
  • Experimentos controlados em laboratório documentaram que médiuns(pessoas que alegam poder se comunicar com mentes de pessoas que estão fisicamente mortas) habituados a pesquisa puderam, às vezes, obter informações precisas sobre indivíduos falecidos. Isto fortalece ainda mais a conclusão de que a mente pode existir separada do corpo.
  • Alguns cientistas e filósofos inclinados ao Materialismo se recusam a reconhecer estes fenômenos porque eles não estão de acordo com a sua concepção exclusiva do mundo. A rejeição às pesquisas que transcendem o materialismo ou a recusa em publicar resultados científicos que extrapolem os limites desta ideologia estão em contradição com o verdadeiro espírito da pesquisa científica, ou seja os dados empíricos devem sempre ser tratados de modo adequado. Dados que não satisfazem às teorias prediletas ou a crenças não podem ser descartados a priori. Tal rejeição é do reino da ideologia, não da ciência.
  • É importante perceber que os fenômenos PSI, EQM’s, e evidências recorrentes oriundas de médiuns honestos e investigados parecem anormais apenas quando vistos por meio das lentes do materialismo.
  • Além disso, teorias materialistas falham ao tentar elucidar como o cérebro pode gerar a mente, e elas não podem contar com as evidências empíricas aludidas neste manifesto. Esta falha nos diz que agora é o momento de nos libertamos das amarras e vendas da velha ideologia materialista, para que possamos abraçar um paradigma pós-materialista.
  • De acordo com o paradigma pós-materialista:
    • A mente representa um aspecto da realidade tão primordial quanto o mundo físico. A mente é fundamental no Universo, isto é, ela não pode ser derivada da matéria e reduzida a algo mais básico.
    • Há uma profunda inter-conectividade entre a mente e mundo físico.
    • A mente pode influenciar o estado do mundo físico, e operar de modo não local, isto é, ela não está confinada a pontos específicos no espaço, tais como cérebros e corpos, nem a pontos específicos no tempo, tais como o presente. Uma vez que a mente pode influenciar o mundo de modo não local, as intenções, as emoções e os desejos de um experimentador  podem não estar completamente isolados dos resultados experimentais.
    • EQM’s em ataques cardíacos sugerem que o cérebro atua como um transceptor da atividade mental, isto é, a mente pode funcionar por meio do cérebro,mas não produzida por ele. EQM’s que ocorrem por meio de ataques cardíacos, em conjunto com as evidências de médiuns pesquisados sugerem a sobrevivência da consciência e a existência de outros níveis da realidade diferentes do físico.
    • Cientistas não devem ter medo de investigar a espiritualidade e experiências espirituais, uma vez que elas representam um aspecto central da existência humana.
  • A Ciência Pós-Materialista não rejeita as observações empíricas e o grande valor das conquistas científicas alcançadas até agora. Ela procura expandir a capacidade humana para melhor entender as maravilhas da natureza, e no processo redescobrir a importância da mente e espírito  como sendo parte da fábrica central do universo. O Pós-materialismo inclui a matéria, que é vista como uma base constituinte do universo.
  • O Paradigma Pós-Materialista tem profundas implicações. Ele  altera fundamentalmente a visão que nós temos de nós mesmos, nos dando novamente a nossa dignidade e força, como humanos e cientistas.. Este paradigma promove valores positivos como compaixão, respeito e paz. Ao enfatizar uma profunda conexão entre nós e a natureza em geral , o paradigma pós-materialista também promove a consciência ambiental e a preservação da nossa biosfera. Além disso, não é uma visão nova, mas apenas esquecida, pode ser a pedra angular da saúde e bem-estar, como tem sido percebido e cultivado em práticas mente-corpo-espírito antigos,nas  tradições religiosas e abordagens contemplativas.
  • O deslocamento da ciência materialista para a ciência pós-materialista pode ser de vital importância para evolução da civilização humana, pode ser ainda mais crucial do que a transição do geocentrismo para o heliocentrismo.

Nós convidamos vocês, cientistas do mundo, a ler o Manifesto Por Uma ciência Pós-Materialista e subscrevê-lo. Para maiores informações, acessar: http://opensciences.org/
O Manifesto por Uma Ciência Pós-Materialista foi preparado por Mario Beauregard, PhD (University of Arizona), Gary E. Schwartz, PhD (University of Arizona), and Lisa Miller, PhD (Columbia University), in collaboration with Larry Dossey, MD, Alexander Moreira-Almeida, MD, PhD, Marilyn Schlitz, PhD, Rupert Sheldrake, PhD, e Charles Tart, PhD.